Técnicas de Priorização para Backlogs de Produto

Compartilhe esse conteúdo!

E aí, pessoal! Vocês já ouviram falar sobre técnicas de priorização para backlogs de produto? Sabe aquela lista enorme de tarefas que precisam ser feitas em um projeto? Pois é, hoje eu vou te contar como é possível organizar tudo isso de forma mais eficiente e garantir que as coisas mais importantes sejam realizadas primeiro.

Você já parou pra pensar como seria se conseguíssemos colocar todas as tarefas em ordem de importância? Seria muito mais fácil saber por onde começar, não é mesmo? E é exatamente isso que as técnicas de priorização para backlogs de produto nos ajudam a fazer.

Mas como funciona isso na prática? Bom, existem várias técnicas que podem ser utilizadas, mas vou te contar sobre duas das mais populares: a Matriz de Eisenhower e o Método MoSCoW.

A Matriz de Eisenhower é uma forma simples e eficaz de dividir as tarefas em quatro categorias: importante e urgente, importante mas não urgente, urgente mas não importante, e nem importante nem urgente. Dessa forma, fica mais fácil identificar quais tarefas devem ser priorizadas e quais podem esperar um pouco mais.

Já o Método MoSCoW é um pouco diferente. Nele, as tarefas são classificadas em quatro categorias: Must have (deve ter), Should have (deveria ter), Could have (poderia ter) e Won’t have (não terá). Assim, conseguimos definir o que é essencial para o projeto e o que pode ser deixado para depois.

Agora me diz, você já utiliza alguma técnica de priorização para organizar suas tarefas? Já experimentou a Matriz de Eisenhower ou o Método MoSCoW? Se sim, conta pra gente nos comentários como tem sido sua experiência. E se ainda não conhecia essas técnicas, que tal começar a aplicá-las no seu próximo projeto? Tenho certeza que vai facilitar muito a sua vida!
Discussao Colaborativa Notas Adesivas

Visão Geral

  • A priorização é essencial para garantir que os itens mais importantes sejam desenvolvidos primeiro
  • Uma técnica comum de priorização é o método MoSCoW, que classifica os itens como Must Have, Should Have, Could Have e Won’t Have
  • Outra técnica popular é a Matriz de Valor x Esforço, que avalia o valor de cada item em relação ao esforço necessário para desenvolvê-lo
  • O método Kano é usado para identificar os requisitos que são essenciais para a satisfação do cliente e aqueles que são apenas satisfatórios
  • A técnica de Poker do Planejamento é uma abordagem colaborativa em que a equipe atribui pontos de complexidade a cada item do backlog
  • Além disso, a análise de custo-benefício e a consideração dos riscos também são importantes na priorização do backlog
  • É fundamental envolver todas as partes interessadas na priorização, incluindo clientes, usuários e membros da equipe de desenvolvimento
  • A priorização do backlog deve ser revisada e ajustada regularmente à medida que novas informações e necessidades surgem
  • Uma boa prática é manter um backlog de produto organizado e transparente, com informações claras sobre cada item e suas prioridades
  • Ao priorizar o backlog, é importante equilibrar as necessidades dos clientes com os recursos disponíveis e as metas estratégicas da empresa

Quadro Branco Notas Adesivas Priorizacao

A importância da priorização na gestão de produto

A priorização é uma etapa fundamental na gestão de produto. Ela nos ajuda a decidir quais são as demandas mais importantes e urgentes a serem atendidas, garantindo que o time esteja focado em entregar valor para os clientes. Sem uma boa priorização, corremos o risco de perder tempo e recursos em tarefas que não trazem benefícios significativos.

Veja:  Dominando a Comunicação Eficaz em Projetos

Métodos e técnicas de priorização utilizados no backlog de produto

Existem diversas técnicas e métodos que podem ser utilizados para priorizar o backlog de produto. Vou te contar sobre duas delas: a matriz de priorização e o framework MoSCoW.

Aprendendo a usar a matriz de priorização: impacto x esforço

A matriz de priorização é uma ferramenta simples, mas muito eficiente. Nela, colocamos as demandas do backlog em um gráfico com dois eixos: impacto e esforço. O impacto representa o quão importante é aquela demanda para os clientes ou para o negócio. Já o esforço representa o quanto de trabalho será necessário para implementar aquela demanda.

Dessa forma, conseguimos visualizar quais são as demandas que têm um alto impacto e um baixo esforço, ou seja, aquelas que trarão grandes benefícios com pouco trabalho. Essas são as demandas que devem ser priorizadas.

Como utilizar o framework MoSCoW para priorizar requisitos

O framework MoSCoW é outra técnica bastante utilizada na priorização do backlog. Ele divide as demandas em quatro categorias: Must have (deve ter), Should have (deveria ter), Could have (poderia ter) e Won’t have (não terá).

As demandas classificadas como Must have são aquelas essenciais para o produto, sem as quais ele não pode ser considerado completo. As Should have são importantes, mas não tão cruciais quanto as Must have. As Could have são desejáveis, mas não essenciais. E as Won’t have são aquelas que não serão atendidas no momento.

Ao utilizar esse framework, conseguimos definir claramente quais são as demandas mais importantes e garantir que elas sejam atendidas primeiro.

Priorizando itens do backlog com base no valor para os clientes

Outra forma de priorizar o backlog é considerando o valor que cada demanda trará para os clientes. Para isso, podemos utilizar técnicas como pesquisa de mercado, feedback dos usuários e análise de métricas.

Ao entender quais são as necessidades e desejos dos clientes, podemos dar prioridade às demandas que irão atender a esses requisitos e trazer maior satisfação para os usuários.

Técnicas ágeis para priorização rápida e eficiente do backlog

No contexto ágil, existem algumas técnicas específicas para realizar a priorização de forma rápida e eficiente. Uma delas é o Planning Poker, onde a equipe utiliza cartas com valores numéricos para estimar a complexidade e o valor das demandas.

Outra técnica é a MoSCoW prioritization game, onde a equipe joga um jogo colaborativo para definir as prioridades das demandas.

Essas técnicas ágeis ajudam a envolver toda a equipe na tomada de decisões e tornam o processo mais dinâmico e participativo.

Dicas para lidar com conflitos na hora de priorizar as demandas do produto

Por fim, é importante lembrar que nem sempre é fácil chegar a um consenso na hora de priorizar as demandas do produto. Conflitos podem surgir entre diferentes partes interessadas, cada uma defendendo suas próprias necessidades.

Nessas situações, é importante buscar um diálogo aberto e transparente, ouvindo todas as opiniões e argumentos. É fundamental entender os critérios utilizados por cada parte interessada e buscar um equilíbrio entre as diferentes necessidades.

Além disso, é importante lembrar que a priorização é um processo contínuo e iterativo. À medida que novas informações surgem ou as circunstâncias mudam, é necessário reavaliar e ajustar as prioridades.

Priorizar o backlog de produto pode ser desafiador, mas com as técnicas certas e uma abordagem colaborativa, podemos garantir que nosso time esteja focado em entregar valor aos clientes e obter sucesso com nosso produto.
Quadro Branco Notas Adesivas Priorizacao 1

Mito Verdade
Priorizar é apenas uma questão de preferência pessoal A priorização de backlog de produto é baseada em critérios objetivos e estratégicos, levando em consideração o valor de negócio, riscos, dependências e necessidades dos stakeholders.
Todas as histórias de usuário devem ser priorizadas igualmente Nem todas as histórias de usuário têm o mesmo valor para o produto. Algumas podem trazer mais valor para o cliente ou para o negócio, sendo necessário priorizá-las de acordo com sua importância.
É melhor priorizar apenas com base nas necessidades dos usuários A priorização deve levar em conta não apenas as necessidades dos usuários, mas também as metas e estratégias do negócio. É importante encontrar um equilíbrio entre as demandas dos usuários e os objetivos da empresa.
A priorização é um processo único e estático A priorização é um processo contínuo e iterativo. À medida que novas informações e necessidades surgem, a priorização pode ser revisada e ajustada para garantir que o backlog de produto esteja sempre alinhado com as prioridades atuais.
Veja:  Como Fazer uma Análise SWOT para o seu Projeto

Brainstorming Notas Coloridas Priorizacao

Verdades Curiosas

  • A técnica de MoSCoW: divide os itens do backlog em quatro categorias – Must Have (deve ter), Should Have (deveria ter), Could Have (poderia ter) e Won’t Have (não terá). Isso ajuda a priorizar as funcionalidades essenciais e diferenciar o que é realmente necessário do que é apenas desejável.
  • A técnica de Kano: classifica as funcionalidades em três categorias – básicas, lineares e excitantes. As funcionalidades básicas são esperadas pelos usuários, as lineares trazem satisfação proporcional ao seu nível de implementação e as excitantes surpreendem positivamente os usuários. Essa técnica ajuda a identificar o valor percebido pelo cliente em cada funcionalidade.
  • A técnica de MoSCoW 2.0: além das categorias tradicionais do MoSCoW, essa técnica adiciona uma categoria chamada Should Have Later (deveria ter depois). Assim, é possível priorizar as funcionalidades que não são essenciais no momento, mas podem ser consideradas em futuras iterações.
  • A técnica de Value vs. Effort: nessa técnica, cada item do backlog recebe uma pontuação de valor e esforço. O valor representa o benefício que a funcionalidade trará para o usuário ou para o negócio, enquanto o esforço representa a complexidade e recursos necessários para implementá-la. Dessa forma, é possível priorizar as funcionalidades com maior valor e menor esforço.
  • A técnica de RICE: RICE é uma sigla que significa Reach (alcance), Impact (impacto), Confidence (confiança) e Effort (esforço). Cada item do backlog recebe uma pontuação em cada um desses critérios e a priorização é feita com base na soma dessas pontuações. Essa técnica leva em consideração não apenas o valor da funcionalidade, mas também a sua viabilidade e impacto potencial.

Mosaico Priorizacao Backlog Notas Adesivas

Palavras que Você Deve Saber


– Backlog de Produto: é uma lista de itens que descrevem as funcionalidades, melhorias e correções que devem ser desenvolvidas em um produto.
– Priorização: é o processo de classificar e ordenar os itens do backlog de produto com base em critérios específicos.
– Técnicas de Priorização: são métodos ou abordagens utilizadas para determinar a ordem de desenvolvimento dos itens do backlog de produto.
– MoSCoW: é uma técnica que classifica os itens do backlog em quatro categorias: Must have (deve ter), Should have (deveria ter), Could have (poderia ter) e Won’t have (não terá).
– Kano Model: é uma técnica que classifica os itens do backlog em três categorias: básico, desejado e encantador, com base na satisfação que eles proporcionam aos usuários.
– Matriz de Impacto x Esforço: é uma técnica que avalia o impacto e o esforço necessário para implementar cada item do backlog, permitindo priorizar aqueles que têm maior impacto com menor esforço.
– Poker Planning: é uma técnica em que a equipe de desenvolvimento atribui pontos de complexidade a cada item do backlog, permitindo priorizar com base na estimativa de esforço necessário.
– Análise de Valor: é uma técnica que considera o valor percebido pelo cliente e o custo para desenvolver cada item do backlog, priorizando aqueles com maior valor agregado e menor custo.
– Customer Journey Mapping: é uma técnica que mapeia as etapas pelas quais o cliente passa ao interagir com o produto, permitindo identificar as funcionalidades mais importantes para priorização.
– RICE Score: é uma técnica que combina os fatores Reach (alcance), Impact (impacto), Confidence (confiança) e Effort (esforço) para calcular uma pontuação e priorizar os itens do backlog.
Grid Priorizacao Notas Adesivas

1. O que é um backlog de produto?


Um backlog de produto é uma lista de todas as funcionalidades, melhorias e correções que precisam ser feitas em um produto. É como uma lista de tarefas para a equipe de desenvolvimento.

2. Por que é importante priorizar o backlog de produto?


Priorizar o backlog de produto é importante para garantir que as funcionalidades mais valiosas e necessárias sejam desenvolvidas primeiro. Isso ajuda a atender às necessidades dos usuários e do mercado de forma eficiente.

3. Quais são as técnicas mais comuns para priorizar o backlog de produto?


Algumas técnicas comuns para priorizar o backlog de produto são: MoSCoW, Matriz de Valor x Esforço, Poker Planning, Kano Model e Análise de Custo-Benefício.

4. Como funciona a técnica MoSCoW?


A técnica MoSCoW é baseada em categorizar as funcionalidades em quatro grupos: Must have (deve ter), Should have (deveria ter), Could have (poderia ter) e Won’t have (não terá). Dessa forma, é possível definir quais funcionalidades são essenciais e devem ser priorizadas.
Veja:  Dominando a Arte de Delegar em Projetos

5. E a Matriz de Valor x Esforço, como funciona?


A Matriz de Valor x Esforço é uma técnica que consiste em avaliar cada funcionalidade com base no valor que ela traz para o usuário e no esforço necessário para desenvolvê-la. Assim, é possível priorizar as funcionalidades que trazem maior valor com menor esforço.

6. O que é Poker Planning?


Poker Planning é uma técnica em que a equipe de desenvolvimento atribui pontos de complexidade para cada funcionalidade do backlog. Esses pontos podem ser usados para priorizar as funcionalidades com base na sua complexidade.

7. Como funciona o Kano Model?


O Kano Model é uma técnica que classifica as funcionalidades em três categorias: básicas, lineares e excitantes. As funcionalidades básicas são essenciais e devem ser priorizadas, enquanto as lineares e excitantes podem ser consideradas posteriormente.

8. E a Análise de Custo-Benefício?


A Análise de Custo-Benefício é uma técnica em que cada funcionalidade é avaliada com base no seu custo (tempo e recursos necessários) e benefício (valor para o usuário). Prioriza-se as funcionalidades com maior benefício em relação ao custo.

9. Quais critérios podem ser considerados na priorização do backlog de produto?


Alguns critérios comuns são: valor para o usuário, impacto no negócio, esforço necessário, dependências entre as funcionalidades, urgência e risco.

10. É possível combinar diferentes técnicas de priorização?


Sim, é possível combinar diferentes técnicas de priorização para obter um resultado mais completo e preciso. Cada técnica tem suas vantagens e limitações, então combiná-las pode ajudar a tomar decisões mais embasadas.

11. Quem deve participar da priorização do backlog de produto?


A priorização do backlog de produto deve envolver a equipe de desenvolvimento, o Product Owner (responsável pelo produto) e outras partes interessadas relevantes, como usuários ou representantes do negócio.

12. É necessário revisar a priorização do backlog de produto regularmente?


Sim, é importante revisar a priorização do backlog de produto regularmente para garantir que as necessidades dos usuários e do mercado estejam sendo atendidas adequadamente. À medida que novas informações surgem ou as circunstâncias mudam, a priorização pode precisar ser ajustada.

13. Como lidar com conflitos na priorização do backlog de produto?


Conflitos na priorização do backlog de produto podem ocorrer quando diferentes partes interessadas têm opiniões divergentes sobre quais funcionalidades devem ser priorizadas. Nesses casos, é importante buscar um consenso através da comunicação aberta e da análise imparcial dos critérios estabelecidos.

14. Existe uma única maneira correta de priorizar o backlog de produto?


Não existe uma única maneira correta de priorizar o backlog de produto. A escolha da técnica ou combinação de técnicas depende das necessidades específicas do projeto e das preferências da equipe. O importante é encontrar um método que funcione bem para todos os envolvidos.

15. Qual é o benefício de uma boa priorização do backlog de produto?


Uma boa priorização do backlog de produto ajuda a garantir que as funcionalidades mais importantes sejam desenvolvidas primeiro, resultando em um produto mais valioso para os usuários e maior sucesso no mercado. Além disso, ajuda a otimizar o uso dos recursos da equipe de desenvolvimento.
Brian Schopegner

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *